Noticias

COMUNICADO DE IMPRENSA

De modo a esclarecer algumas questões colocadas, recentemente, por representantes de órgãos da Comunicação Social, a respeito do reajustamento tarifário ocorrido a 1 de Fevereiro último, o Conselho de Administração da empresa Telecomunicações de Moçambique, SARL, entende ser necessário difundir o presente comunicado de Imprensa, solicitando a sua divulgação, para um melhor conhecimento do público.

A empresa Telecomunicações de Moçambique-TDM, SARL procedeu a reajustamentos no seu sistema tarifário nacional, desde 1 de Fevereiro de 2004, tendo por objectivos principais tornar mais competitivo o tarifário das comunicações na rede telefónica fixa, cobrir os custos de interligação nas chamadas efectuadas entre o telefone fixo e o telefone celular, bem como aumentar o tráfego intra-rede na rede telefónica fixa.

Com a recente liberalização do mercado nacional das telecomunicações, nomeadamente com a entrada em funcionamento de um segundo operador móvel celular, a separação do serviço telefónico fixo ao do móvel (a empresa Moçambique Celular-mCel, SARL, embora participada pela TDM, é uma empresa com gestão autónoma) e, particularmente, com a consequente concorrência de preços neste segmento das comunicações telefónicas nacionais, tornava-se imperioso que a TDM, SARL, adoptasse algumas novas medidas, de modo a torná-la competitiva, com o objectivo de servir, cada vez mais e melhor, os seus clientes.

Foi neste âmbito que foi introduzida, pela primeira vez, a partir de 1 de Fevereiro de 2004, a tarifação por segundo nas chamadas telefónicas, trazendo assim vantagens acrescidas aos clientes, em virtude da alteração do anterior sistema tarifário telefónico por impulso dos primeiros três minutos iniciais. Isto significa que, se um cliente efectuar uma chamada de dois minutos apenas, só lhe será debitado exactamente este tempo de conversação.
Particularmente no que respeita às cabinas públicas, no sistema anterior o impulso ocorria de três em três minutos para as chamadas locais e período normal, mas com a nova alteração, e de modo a beneficiar os clientes, o impulso é, agora, consentaneamente mais realístico com o tempo de conversação, debitando-se o custo real do tempo de conversação, o que explica o facto de o contador parecer ser mais célere. Anteriormente, ao falar mesmo que fosse durante um só minuto numa cabina pública, o cliente pagava por três minutos de conversação (2.950,00 Meticais). Com o novo reajustamento, e a nova modalidade, ao falar durante um minuto pagará apenas 1.900,00 Meticais, ou seja menos 36 por cento, comparativamente ao valor anterior.

De destacar, igualmente, que passará a estar disponível aos clientes, já a partir de Março, a facturação detalhada do telefone fixo - um serviço há muito ansiado pelos clientes da TDM, o que vem conferir uma maior transparência sobre os débitos telefónicos, por parte dos clientes particulares e empresariais, dissipando-se de imediato algumas dúvidas que, por vezes, ocorrem a respeito dos consumos telefónicos da rede fixa. A empresa Telecomunicações de Moçambique, SARL, desenvolveu este esforço no sentido de proporcionar uma maior credibilidade ao processo de facturação da empresa, o que representa também vantagens adicionais aos seus clientes.

Não menos importante é a redução, desde aquela data:

  • da tarifação de acordo com níveis de distância, para apenas dois, ou seja uma tarifação única nas chamadas efectuadas entre 0 e os 50 Km e uma segunda tarifação acima dos 50 Km, quando anteriormente haviam três níveis de distância;
  • do valor das chamadas de longa distância;
  • da tarifação para os utilizadores da internet, com custos mais baixos, comparativamente às chamadas vocais.

Referir ainda no que respeita às chamadas internacionais, que ocorreu igualmente uma redução bastante significativa nos seus custos, desde 1 de Janeiro deste ano, propiciando que, competitivamente, o tarifário telefónico internacional na rede fixa seja inferior ao dos restantes operadores.

Maputo, 1 de Março de 2004

 
© 2000 2004 TDM.Todos os Direitos reservados