Vem ai a VII Bienal TDM 

No dia 16 de Abril, serão conhecidos os vencedores da Bienal TDM 2003, uma das realizações da empresa que tem com objectivo contribuir para o desenvolvimento do sector artístico no país.

O Júri, que vem trabalhando desde o lançamento, a 28 de Junho de 2002, seleccionou um total de 78 obras, das quais 26 na modalidade de pintura, 10 no desenho, 7 na gravura, 20 na escultura, 10 na cerâmica e 5 em outras modalidades.

Por se tratar de um acontecimento de grande impacto e abrangência a nível nacional e regional, a Bienal conta com a participação de artistas plásticos moçambicanos, residentes ou não no país, assim como estrangeiros residentes em Moçambique, nos países da África Austral ou ex-residentes no território nacional. 

A realização conta ainda com envolvimento de outros intelectuais ligadados aos vários ramos das ciências sociais, da investigação, críticos de arte, galeristas e museólogos, que prestarão seu contributo ao evento, imprimindo-lhe uma mais-valia cultural.

O programa prevê entrevistas, debates, artigos, mesas-redondas e encontros interdisciplinares, que tem como objectivo uma reflexão sobre as artes pláticas moçambicanas.

Vencedores da Bienal 2001

Na categoria Pintura, o prémio foi atribuido a Misa Obrsal pela obra "A Entrada" e o segundo prémio ao pintor Tomo, pela obra "Reflexo 2000-II". Os prémios foram de 1.000 e 700 dólares norte-americanos, respectivamente.

Na categoria Escultura/Cerâmica, o júri atribuiu prémios ao artista plástico Muando, pelo trabalho "Vozes" e o segundo lugar a Miguel Valingue por "O espírito que anda com as pessoas".

Na modalidade Desenho/Escultura foram classificados Pinto, em primeiro lugar,pelo seu trabalho em desenho intitulado "Os nove meses da Rosinha" e Famós, que apresentou "Brigas de rua: sacana! O marido é meu". Os prémios foram nos valores de 700 e 450 dólares norte-americanos.

Menções honrosas foras atribuídas aos artistas plásticos Magafusso e J. Quehá pelas obras "Verão" e a "Última fome" na modalidade da Pintura. Na categoria Escultura/Cerâmica foram galardoados Custy por "Abrigo em qualquer canto" e Mabjhaia por "Uma só nota",  e na modalidade desenho e gravura a menção honrosa foi para Mendonça com a obra "A próxima cheia".

 
© 1999 2009 TDM.Todos os Direitos reservados