smltdm.gif (1061 bytes)

 

© Telecomunicações de Moçambique 2000
T D M - DSI


Relatório dos Auditores Externos

Ao Conselho de Administração da TDM Empresa Nacional de Telecomunicações de Moçambique, E.P.

A uditámos as demonstrações financeiras da TDM - Empresa Nacional de Telecomunicações de Moçambique, E.P., incluídas nas páginas 4 a 32. As demonstrações financeiras traduzem a informação financeira passada e a posição financeira da Empresa em referência a 31 de Dezembro de 2000. Esta informação foi preparada em concordância com as políticas contabilísticas divulgadas nas páginas 8 a 12.

Responsabilidades da Administração

É da responsabilidade do Conselho de Administração preparar as demonstrações financeiras de acordo com os princípios contabilísticos geralmente aceites de modo a que estas traduzam de forma verdadeira e apropriada a situação financeira da Empresa em 31 de Dezembro de 2000, bem como os resultados das suas operações para o exercício findo nessa data.

Responsabilidade dos auditores

É da nossa responsabilidade expressarmos uma opinião independente sobre as demonstrações financeiras preparadas pelo Conselho de Administração e divulgá-la no nosso relatório.

Base da opinião

Uma auditoria inclui a verificação, por amostragem, do suporte dos valores e informações constantes nas demonstrações financeiras. Inclui, também:

  • a avaliação das estimativas baseadas em juízos e critérios definidos pela Administração, utilizadas na preparação das demonstrações financeiras, e
  • a apreciação da adequação das políticas contabilísticas adoptadas e da sua divulgação tendo em conta as circunstâncias e a sua consistente aplicação.

Excepto quanto às limitações descritas nos parágrafos 1 a 3, conduzimos a nossa auditoria em concordância com as Normas Internacionais de Auditoria. Planeámos e realizámos a nossa auditoria de forma a obtermos toda a informação e explicações que considerámos necessárias, por forma a darem-nos suficiente evidência que as demonstrações financeiras não contêm distorções materialmente relevantes, resultantes de erros ou fraudes. Na formulação da nossa opinião, avaliámos também a adequacidade da apresentação da informação constante nas demonstrações financeiras.

Comentários de auditoria

  1. Por razões às quais a TDM é alheia, persistem dificuldades no acesso e interpretação dos extractos bancários de contas detidas em Maputo, numa das Instituições Bancárias com quem a Empresa mantém um grande volume de transacções, dificuldades essas, associadas a problemas nos sistemas informáticos da referida Instituição Bancária. Estão a ser desenvolvidos esforços entre as duas entidades no sentido de serem conciliados os registos da TDM com os registos da Instituição Bancária, e espera-se que esta situação seja ultrapassada brevemente.
    Desta forma, para as contas bancárias em questão, não nos foi possível confirmar qual seria o impacto de possíveis ajustamentos que seria necessário efectuar nas demonstrações financeiras da Empresa.
  2. Foram apuradas diferenças entre os valores constantes no módulo de facturação (nas províncias onde o mesmo se encontra implementado) e os valores evidenciados nos registos contabilísticos da Empresa, relativamente a saldos de clientes e facturação do exercício. Na ausência de uma reconciliação entre as duas fontes de informação, não nos é ainda possível quantificar eventuais valores por registar ou ajustar na rubrica de Prestações de Serviços, nos saldos a receber de clientes e na provisão para saldos de cobrança duvidosa.
  3. No decurso do trabalho de auditoria foram enviados pedidos de confirmação de saldos às entidades com as quais a Empresa mantém transacções significativas. Os procedimentos alternativos utilizados para validar a maior parte dos saldos conduziram-nos a resultados satisfatórios, contudo, não obtivemos confirmação directa do principal fornecedor de imobilizado da Empresa, com impacto em responsabilidades e adiantamentos efectuados por conta de fornecimentos futuros.

Desta forma, não nos foi possível confirmar a inexistência de eventuais responsabilidades e/ou disponibilidades que poderão, ou não, estar por registar nas demonstrações financeiras da Empresa.

Opinião

Obtivemos toda a informação e explicações que solicitámos.

Em nossa opinião, excepto quanto ao possível efeito resultante das limitações ao nosso exame descritas nos parágrafos 1 a 3 anteriores, tanto quanto nos foi possível observar em resultado do nosso exame, os registos contabilísticos da Empresa foram mantidos adequadamente e as demonstrações financeiras incluídas nas páginas 4 a 32:

  • estão conforme o plano geral de contabilidade moçambicano, e
  • apresentam de forma verdadeira e apropriada, em todos os aspectos materialmente relevantes, a posição financeira da Empresa em 31 de Dezembro de 2000, bem como o resultado das suas operações para o ano findo na mesma data.